24 sábado , outubro , 2020
Novidades

TRT-2 pacifica conflitos entre empresas públicas e sindicatos

Ao longo desta semana, o TRT da 2ª Região promoveu a conciliação em dissídios coletivos de diferentes categorias envolvendo atividades de transporte e energia elétrica.

Na quarta-feira (06), sob a condução da desembargadora Ivani Contini Bramante e da juíza Patrícia Therezinha de Toledo, ambas do Núcleo de Conciliação de Coletivos do TRT-2, a Dersa Desenvolvimento Rodoviário S/A concretizou acordo com os sindicatos suscitantes. Dentre outras questões, foi fixado índice de reajuste salarial de 6,28%, incidindo sobre todas as cláusulas econômicas, com exceção do vale-refeição, que terá reajuste de 10%. Além disso, as partes concordaram em manter cláusulas já negociadas, como a data base da categoria, e em formar uma comissão paritária para tratar diretamente sobre aspectos do plano de saúde.

Na mesma data, a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) e o sindicato da categoria avançaram nas negociações relativas ao Programa de Participação nos Resultados (PPR). Juntamente do juiz Ricardo Apostólico Silva, a desembargadora Ivani Bramante intermediou debate, que culminou em uma proposta concreta, que pode sinalizar o desfecho das negociações sobre o tema. Com a garantia de pagamento mínimo de R$3.548,00, desde que cumpridas metas objetivas que dependam exclusivamente do desempenho dos trabalhadores, o sindicato se comprometeu à levar a minuta à assembleia, informando o Núcleo sobre seu resultado.

Já nessa quinta-feira (07), teve fim o conflito entre a Companhia Energética de São Paulo (Cesp) e o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Energia Elétrica de São Paulo, que aceitaram os termos propostos pelo Núcleo em reunião anterior, realizada na terça-feira (05). Dentre outras questões, ficou fixado o reajuste salarial de 5,36% a todos os empregados admitidos até 31/05/2014, além de aumento de 18% em benefícios como auxílio-alimentação/lanche matinal, cesta básica e auxílio-creche. O Plano de Cargos e Salários da empresa seguiu o mesmo percentual, passando de R$175.000,00 para R$ 206.500,00.

FONTE: TRT2 – www.trtsp.jus.br