24 terça-feira , novembro , 2020
Novidades
Fevereiro tem maior queda do emprego formal em 25 anos

Fevereiro tem maior queda do emprego formal em 25 anos

O País fechou 104.582 postos de trabalho com carteira assinada no mês passado, de acordo com dados divulgados no dia 22 de março pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho.

O que se constatou é que a crise econômica, agravada na sua atualidade, fez fevereiro registrar a maior queda do emprego formal em 25 anos.

Muitos postos de trabalho foram fechados. Um dos Estados que mais teve esse desfecho em fevereiro passado foi o Rio de Janeiro (com -22.287 vagas), seguido de São Paulo (-22.110 vagas) e Pernambuco (-15.874 vagas). Por outro lado, alguns Estados contrataram mais do que demitiram, destacando seis deles: Rio Grande do Sul (6.070 vagas criadas), Santa Catarina (4.793), Mato Grosso (3.683), Goiás (2.327), Mato Grosso do Sul (1.124) e Tocantins (com apenas 88 postos criados).  Há que se destacar que o Rio Grande do Sul, líder em geração de vagas, também registrou saldo positivo em janeiro com 3.220 empregos.

Considerando que o número leva em conta a diferença entre demissões e contratações podemos afirmar que esse dado é o maior para fevereiro desde quando foi iniciada a pesquisa, ano de 1992. O País eliminou 1.706.985 postos de trabalho levando em consideração os últimos 12 meses, o que equivale à diminuição de 4,14% no contingente de empregados com carteira assinada no País.

Comércio, indústria de transformação e construção civil, entre outros, foram os setores da economia que demitiram mais do que contrataram em fevereiro; diferentemente da administração pública que criou 8.583 postos de trabalho no mês passado.

Assim sendo, em 2016 o País acumula o fechamento de 204.912 vagas formais de trabalho, levando em consideração o resultado de fevereiro, na série ajustada que considera declarações de janeiro entregues fora de prazo.

Todas as regiões registram fechamento líquido de postos de trabalho nos últimos 12 meses, mesmo com o desempenho positivo do Sul e do Centro-Oeste. O Sudeste foi a região que mais demitiu, com a extinção de 959.958 postos, seguida do Nordeste, do Sul, do Norte e do Centro-Oeste.

O Caged registra as contratações e as demissões em empregos com carteira assinada com base em declarações enviadas pelos empregadores do Ministério do Trabalho, e sua divulgação se dá desde 1992.