24 terça-feira , novembro , 2020
Novidades

Surto de gripe H1N1 preocupa e campanha de vacinação é antecipada

Devido à situação atípica de antecipação de surto de H1N1 no país, que costuma ocorrer no inverno, e apesar de a Campanha Nacional de Vacinação contra a gripe H1N1 estar prevista para o dia 30 de abril, o Ministério da Saúde anunciou a autorização, aos Estados interessados, para anteciparem o início da vacinação. E, cada Secretaria de Saúde estadual deverá divulgar o calendário a ser adotado, observando a reserva adequada da vacina para o dia previsto para a Campanha Nacional.

A forma de prevenção efetiva contra a gripe H1N1 é a vacina específica. As vacinas da rede pública protegem contra os vírus H1N1, H3N2 e o tipo B. Na rede privada também estão disponíveis as vacinas quadrivalentes, que além dos vírus mencionados também protegem contra outro tipo de gripe b, cujo vírus circula nos Estados Unidos, segundo divulgado pela mídia.
Não podem tomar a vacina bebês menores de 6 meses e quem já teve reações anafiláticas em aplicações anteriores. Por outro lado, também deve ter cautela quem já teve a síndrome de Guillain-Barré ou tem reações alérgicas graves a ovo, pois a vacina tem proteínas desse alimento.

Simultaneamente, o Ministério da Saúde alerta para a importância de a população adotar outras medidas de prevenção para evitar o contágio pelo vírus H1N1, tais como manter ambientes arejados, evitar locais com aglomeração de pessoas, lavar com frequência as mãos, usando com água e sabão; utilizar lenços descartáveis e colocar a mão na boca sempre que tossir ou espirrar.
Tosse e espirro são formas eficazes de o vírus se propagar. Antes mesmo de os sintomas aparecerem, as pessoas contaminadas já começam a transmitir o vírus; a transmissão pode ocorrer no simples gesto de falar próximo à pessoa.

É importante estar atento e, no caso de perceber sinais de febre alta, acima de 38º, 39º, dor muscular, de cabeça, de garganta ou nas articulações procure assistência médica. Há testes de laboratório capazes de detectar que tipo de vírus é responsável pela contaminação, no caso de isso ter ocorrido.