7 sexta-feira , agosto , 2020
Novidades

A rica moda e os pobres modelos

Para aqueles que promoveram as ADPFs 293 e 183, junto ao Supremo Tribunal Federal, com a tese de que a livre expressão artística não necessita de registro profissional, deveria no dia de ontem estar presente no MASP – Museu de Arte Moderna de São Paulo, no desfile “À LA GARÇONE”.

A grife de Alexandre Herchcovitch contratou modelos para a apresentação de sua marca, sem pagar o referido cachê, ou por valores muito inferiores ao legalmente devidos, aproveitando-se da inexperiência das meninas e meninos “convidados”.

Aproveitam-se de toda a manipulação judicial acarretada pelas citadas ações e tornam uma atividade promocional séria, em um uma exploração profissional inescrupulosa em frontal desrespeito à Lei e à CF/88.

A própria advogada da marca, Bruna Lins, afirmou a Folha de São Paulo que: “não há lei que impeça pessoas não profissionais e apenas convidadas pela marca de desfilaram sem receber” um cachê.

Segue o link da matéria:
https://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2018/08/desfile-de-herchcovitch-no-masp-vira-caso-de-policia-por-questoes-trabalhistas.shtml

Para esclarecimentos, eram mais de 20 as pessoas “convidadas”, fato que foi constatado pelos fiscais do Sindicato dos Artistas e Técnicos em de Espetáculos do Estado de São Paulo – SATED-SP, liderados pelo seu presidente Dorberto Carvalho.

Aos senhores Ministros do STF, que têm a responsabilidade do julgamento cabe um apelo, que o façam visando a melhoria do trato ao profissional artísta, que envolve horas de estudo e orientação. E todo esse trabalho foi feito por um Sindicato, aquela “associação” que perdeu a sua mais importante fonte de custeio quando não a única, e mantém o ideal de servir, mesmo que sem condições financeiras, sua categoria.

Aos senhores Congressistas cabe dizer: a precarização imposta pela nova Legislação Trabalhista e da Terceirização, se depender dos sindicatos da Educação e da Cultura serão, em breve, “letra morta”.

Juntos somos mais fortes!

Por Oswaldo Augusto de Barros – CNTEEC