17 segunda-feira , dezembro , 2018
Novidades
Número de pessoas que desistem de procurar emprego bate recorde

Número de pessoas que desistem de procurar emprego bate recorde

O segundo trimestre de 2018 apresentou, no Brasil, o maior contingente de desalentados ─ pessoas que desistiram de procurar emprego─ desde o começo da série histórica (em 2012) da Pnad Contínua. Os resultados dessa pesquisa divulgados, em agosto, pelo IBGE mostram que esse número chegou a 4,8 milhões de pessoas de 14 anos ou mais de idade superando o número do primeiro trimestre de 2018, que foi 4,6 milhões; e do segundo trimestre de 2017 (4 milhões de pessoas).

A realidade que aparece nessa pesquisa mostra que um em cada quatro desempregados vem, há pelo menos dois anos, buscando uma vaga sem nada conseguir e acaba desistindo, às vezes, até por falta de recursos para pagar despesas com transporte nessa busca de longa duração.

Na interpretação do IBGE a população desalentada ficou fora da força de trabalho por várias razões: não havia trabalho na localidade em que residia, ou não tinha experiência, ou qualificação, ou foi considerada muito jovem ou idosa; mas, se tivesse conseguido trabalho teria assumido.

Apresentaram a maior taxa de desalento no segundo trimestre de 2018, entre as unidades da federação, Alagoas (16,6%) e Maranhão (16,2%); enquanto o Rio de Janeiro (1,2%) e Santa Catarina (0,7%) apresentaram a menor.

Desde o início da crise econômica, em 2014, o número de pessoas procurando emprego há mais de 2 anos aumentou em 162% e o tempo de espera pela recolocação no mercado de trabalho tem relação direta com o desalento, segundo o IBGE.

Por: Maria Augusta