20 sexta-feira , setembro , 2019
Novidades
“JUNTOS POR TODOS” EM TODO PAÍS

“JUNTOS POR TODOS” EM TODO PAÍS

A campanha “JUNTOS POR TODOS – A contribuição sindical não é obrigatória, mas assegura os seus direitos”, lançada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Educação e Cultura (CNTEEC), com objetivo de conscientizar as categorias profissionais que representa sobre a importância da contribuição na defesa dos trabalhadores, está tomando conta do país.

Para o presidente da CNTEEC, Oswaldo Augusto de Barros, “é chegado o momento de esclarecer sobre a importância do sindicato na vida do trabalhador, sobre o trabalho das entidades sindicais nas negociações coletivas, sobre as conquistas obtidas em razão desse trabalho e da necessidade do financiamento desse trabalho pelo trabalhador”, afirmou Barros.

Apoiador da campanha, o Prof. Carlos Magno da Silva Bernardo, presidente do Sindicato Intermunicipal dos Professores no Estado de Santa Catarina (SINPROESC), enfatizou: “Sem os sindicatos não existe democracia. O movimento sindical cumpre um importante papel social. Além de negociar os salários, estabelece acordos e convenções coletivas com os empregadores, visando melhorar as condições de vida e trabalho da classe que representa. É importante ressaltar que, as conquistas da negociação coletiva atingem todos os representados estendendo-se inclusive as suas famílias”.

“Portanto, o pagamento da contribuição sindical é um instrumento de fortalecimento da categoria, torna o sindicato representativo perante o Estado, os empregadores e a sociedade. Tendo a entidade plenas condições de implementar as políticas necessárias para a defesa dos direitos e interesses dos seus representados, como também, buscar e ampliar as conquistas”, disse Bernardo.

Assista o vídeo depoimento do Prof. Carlos Magno:

 

MANUTENÇÃO DAS CLÁUSULAS SOCIAIS

A reforma trabalhista obrigou sindicatos de trabalhadores e patronais a reverem ponto a ponto as convenções coletivas porque ela acabou com a chamada ultratividade. Até então, com a ultratividade, os benefícios adquiridos estavam garantidos.

Diante disso alguns sindicatos patronais estão querendo tirar conquistas obtidas anteriormente. O trabalho do SINPROESC nesse sentido desponta e serve de motivação. “Negociar não é nada fácil, envolve interesses. A luta para manter e conquistar novas cláusulas, principalmente as chamadas cláusulas sociais, é dura, árdua e difícil. Na nossa convenção são mais de 70 cláusulas conquistadas e negociadas pelo sindicato”, enfatizou Bernardo.

Membro integrante da campanha, o Prof. Carlos Magno da Silva Bernardo convocou sua categoria: “PROFESSOR FILIE-SE E PARTICIPE DE SUA ENTIDADE SINDICAL! JUNTOS, PODEMOS FAZER A DIFERENÇA. NOSSA PALAVRA DE ORDEM É RESISTIR E AVANÇAR”.