18 quinta-feira , julho , 2019
Novidades
A riqueza de um país é sua indignação.

A riqueza de um país é sua indignação.

Sabe presidente estamos fartos de tanta cortina de fumaça, para encobrir a incompetência de um Governo que, após os tais 100 dias, ainda não acordou para o trabalho.

Não votei no senhor, entretanto, vi amigos se digladiarem, parentes cortarem relacionamento, classes sociais se impregnarem de ódio segregacional por um sonho de ser feliz. Parto do princípio que presidente eleito e seus planos de governo devem ser respeitados.

Unir a população em torno de um ideal comum é sua principal obrigação. O senhor colocou-se como o novo e contra tudo que já existia, a solução.

As redes sociais são apenas uma eficaz arma de comunicação, de alteração de conceitos e até mesmo de revolta por algo que mesmo não compreendendo, pretende-se novo rumo. As redes sociais ganharam a sua eleição, mas não governam.

O país que o senhor governa já foi chamado de ladrão pelo seu ex-ministro da Educação e seu ministro da Economia chama seu povo de vagabundo. Não é de se estranhar que se entenda que não há nada demais em um assassinato de um músico ser feito com apenas 80 disparos.

Negar os problemas sociais que temos acabando com seus Conselhos é deixar de ter relatórios presenciais de como o seu Povo está vivendo. Se a estrutura era falha, ou se as pessoas que lá estavam não atendiam a seus interesses, saiba que esse particular é o que menos interessa para o País. O senhor agora é plural e tem que se adaptar à realidade do Brasil e não a dos circuitos sociais de seu convívio.

O Trabalho é a parte pobre do Brasil, sem a qual, o Capital não sobrevive. É o trabalhador o gerador de riquezas. Acabar com sua Aposentadoria com a Reforma da Previdência, pode alegrar ao Capital, mas retira o sonho de quem a sustenta.

Sabemos que a crise econômica que vivemos é a principal responsável pela crise da Previdência, o senhor foi eleito para sair da crise e não para resolvê-la com o sangue de seu povo. Se a busca desse equilíbrio é a própria Previdência, acabe com as aposentadorias acumuladas. Corte também na aposentadoria dos poderosos, inclusive dos militares. Não tenha medo, o povo estará ao seu lado. Escolher outro apoio irá macular sua história.

O Trabalhador espera do senhor soluções para o desemprego, estimulando a Economia e não retirando-lhe conquistas. Não será fechando seus sindicatos que morreram seus ideais. Aliás, são essas ações que os une mais.

Oswaldo Augusto de Barros- CNTEEC – FEPPAAE – FST