5 sexta-feira , junho , 2020
Novidades

A riqueza da falta de notícias

Todo final de ano é assim, entretanto, este ano conseguiu superar os demais. Os periódicos, as revistas, os noticiários ativeram-se apenas a justificar o injustificável.

Tivemos delírios de todos os lados. O que mais nos chama a atenção são as soluções dadas para o “futuro do mundo do trabalho”. Temos a impressão que o Brasil parou no tempo e o mundo criou tecnologias que são impossíveis de serem assimiladas pelo trabalhador brasileiro.

O mundo apresentado pelos analistas, cria uma realidade muito próxima da que deu ensejo à Revolução Francesa de 1789.

Diversos são os livros de ficção que previam a sociedade moderna, e muitos foram os argumentos usados com final comum: a guerra entre poderosos e oprimidos.

Onde estão os grandes estadistas para debaterem com propriedade este tema? Não existem? Ou não estão preparados para enfrentar essa realidade?

A visão que os Governantes apresentam é mesquinha e nada apresenta de novo. Enquanto isso, o poder que imputamos à tecnologia, ancora-se no Sistema Financeiro.

Sem exceção, todos curvam-se aos pagamentos das dívidas governamentais impagáveis, porque é esse mesmo Sistema que os coloca no poder.

Se não se gastasse tanto dinheiro com dívidas públicas que nunca foram auditadas ou questionadas, com certeza, teríamos uma Administração Pública mais voltada para a cidadania.

Temas para o debate existem, o que falta é disposição de melhor entender quem realmente governa o Mundo.

Oswaldo Augusto de Barros – CNTEEC – FEPAAE – FST