6 quinta-feira , agosto , 2020
Novidades
Quando Caos parece ser a solução

Quando Caos parece ser a solução

Estranho trabalhar em um ambiente onde ninguém sabe como ou por onde começar.

O ordenamento é sempre um bem estar para a alma e o espírito, facilita a escolha e ao mesmo tempo nos dá disposição para atuarmos nas áreas que estão mais precisando.

O ambiente de caos é excelente, mas para quem?

Será que apenas para aqueles que insistem em dizer que está tudo bem , graças a Deus, que vai dar certo, ou se fazerem de vítima pela falta de tempo, ou ainda querer que todos não notem o que realmente eles são.

Para melhorar a imagem, temos as redes sociais.

Desta forma caminhamos. Sem rumo e apenas vivenciando um jeito autoritário de governar, como na “Velha Política”, tão criticada na campanha eleitoral, mas, ao que parece, foi apenas uma caminho para chegar ao Poder.

E ao chegar ao Poder, deixou de lado os problemas que têm para ser resolvidos, as decisões que são necessárias, ou tenta mascará-las ou procurar os culpados de plantão.

Se tudo isso não der certo, simples, promova uma mega mobilização de 400 pessoas, agrida a imprensa, slogan: fechar o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal, e logo volta a ser manchete.

Novamente surfando nos trends topics da rede social “oficial”.

Pandemia, é coisa da esquerda e existe para prejudicar o Brasil. E daí as mortes, um dia aconteceriam. Fome? Sempre tivemos pobres desesperados e não existe solução para isso.

Bem, os empresários são os coitados, temos que impedir que venham a falir, e novamente quem vai pagar a conta é você trabalhador, que em razão de anos de campanha oficial do governo foi levado a acreditar que se afastar da sua entidade sindical seria o melhor caminho.

Não é, tenha certeza disso, o trabalho sindical neste momento de crise jamais imaginada é o que está resguardando direitos, empregos e o nosso pão de cada dia na mesa do trabalhador.

O pior do confinamento é que as pessoas passam a reconhecer que o Caos não é a solução adequada, apenas aponta a incompetência da ausência de liderança.

Oswaldo Augusto de Barros – CNTEEC – FEPAAE – FST