28 segunda-feira , setembro , 2020
Novidades
Presidente da CNTEEC participa da abertura do XXVI Qualieduc

Presidente da CNTEEC participa da abertura do XXVI Qualieduc

O presidente da CNTEEC e coordenador-nacional do Fórum Sindical dos Trabalhadores (FST), Professor Oswaldo Augusto de Barros, participou nesta quinta-feira (30) da abertura do XXVI Qualieduc – Seminário de Trabalhadores sobre Qualidade na Educação.

O evento promovido pelo Instituto de Pesquisas e Estudos dos Trabalhadores (IPET) e movimento sindical de Santa Catarina e região, com apoio da CNTEEC, acontece on-line até o dia 1° de agosto, com o tema: “O trabalho do educador em tempos de pandemia”.

“Nossa organização sindical, que tantos temas relevantes trouxe no passado via Qualieduc, está apresentando neste seminário especial, importantes ferramentas de auxílio ao professor e ao auxiliar da administração escolar, tanto para enfrentar a atual crise, quanto para se preparar para as relações de trabalho pós-pandemia”, afirmou Antonio Bittencourt Filho, presidente da Federação dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino do Estado de Santa Catarina – FETEESC.

A importância do Movimento Sindical em tempos de crise.

Após a fala inicial sobre o trabalho do educador em tempos de pandemia, coube ao Professor Oswaldo ressaltar a importância do movimento sindical em tempos de crise. “Para garantir a nossa sobrevivência será necessário dialogar, trocar conhecimentos, e analisar de forma prática a situação. Nisso, falar sobre política é inevitável, não existe educação sem política”, ressaltou.

Em sua apresentação, o professor ressaltou pontos desde a reforma trabalhista, em 2017, até a valorização dos sindicatos nas negociações trabalhistas no período pandêmico.

A palestra do presidente da CNTEEC prendeu a atenção dos mais de 300 profissionais, que fizeram perguntas e expressaram suas opiniões por comentários: “Excelente reflexão da nossa realidade. E o trabalho sindical, de fato, é muito importante para garantir os nossos direitos”, disse José Argente.

“A pandemia vai acabar e teremos que recomeçar. Os patrões da educação se acostumaram com a teleaula e o uso do trabalho de forma indiscriminada. E vocês terão um problema. Por isso, faço um pedido para que exijam os direitos, inclusive os autorais. Uma forma até de preservar o trabalho dos companheiros. Aproveito e ressalto, mais uma vez, que estaremos aqui para ajudar no que for preciso, porque a vida do seu sindicato é para você”, enfatizou.